Encontre a luz em meio as trevas!

O que você entende por rock? Satanismo? Ódio? Intolerância? Se pensa assim, você está totalmente errado. Assim como toda forma de música, o rock pretende passar uma mistura de coisas, sentimentos e ideologias. Ninguém precisa seguir essas ideologias e sentimentos. Quem segue à risca é só uma pequena fatia, para nós só interessa o som, ou seja aqui no blog pretendemos mostrar exemplos da boa música, focando no rock, mas sempre passeando pelo metal, e as vezes pelo blues e pelo jazz. Bom proveito.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Recomendação da Semana - Medusa, Trapeze

Glenn Hughes, bom baixista, excelente vocalista. Ficou famoso mundialmente pelo seus trabalhos nas MKIII e MKIV do Deep Purple, seu projeto com Tony Iommi (que acabou virando um álbum do Black Sabbath). Mas o que (como de praxe) quase ninguém conhece, é que antes de ser famoso gravou três álbuns com uma banda chamada Trapeze, um power trio com Glenn no vocal e baixo, Mel Galley na guitarra e Dave Holland na bateria. A banda depois que Glenn saiu, sofreu alterações, mas sempre com Mel na guitarra.


Na MKI da banda (Hughes, Galley e Holland), três álbuns foram gravados: Trapeze, Medusa e You're the Music, We're Just The Band. Três excelentes álbuns, sendo Medusa o melhor, o que conseguiu melhor equilíbrio, Trapeze é muito psicodélico e YTMWJTB é muito funk. Medusa possui um bom hard rock com toques de funk e psicodelia e as vezes aparecem toques do recém criado Heavy Metal. Com certeza uma baita mistura.


As músicas que se destacam desse álbum são as seguintes:
1- Black Cloud, um bom hard rock, tendo passagens mais lentas, outras mais rápidas, porém sem perder as marcas características da banda, o toque funk. O álbum começa bem.


2- Jury, minha favorita da álbum, minha favorita do Trapeze e uma das minhas favoritas da década de 1970. Começa com uma baladinha muito bem elaborada, desembocando em um hard rock de primeira, onde se observam algumas influências meio progressivas, do blues e até mesmo do heavy metal (buscando influência no primeiro álbum do Zeppelin e o primeiro do Sabbath).


5- Seafull, pode-se dizer que é uma balada com um toque de blues, o mesmo caí perfeitamente na estrutura da música, destaque para Glenn Hughes nessa música, vocal incrível, e um baixo constante que marca presença.


7- Medusa, novamente uma balada que fica mais pesada no final, agora com um toque de progressivo na introdução, lembrando até um pouco do trabalho do Pink Floyd no Meddle. Essa parte mais pesada da música, é realmente muito boa, heavy rock de primeira, passagens distorcidas de guitarra e uma bateria interessante, depois volta-se a baladinha, e no fim volta se à parte pesada, porém com um Hughes mais desesperado e gritante.


Agora vamos as músicas que não dei muito destaque.
3, 4 e 6- You Love is Alright, Touch My Life e Makes You Wanna Cry, respectivamente. O motivo delas não receberem tanto destaque, é o fato delas não serem tão inovadoras assim. Elas são um hard rock funkeado e são bem mais "dançantes" que as outras. Mas serem swingadas e simples não é motivo para rebaixá-las, os caras do Trapeze só deveriam ter colocado mais atitude. De qualquer maneira, boas músicas, mas nem tanto quanto as faixas 1, 2, 5 e 7.


Nota: 8


Download:
http://www.4shared.com/rar/dIiRj6aD/Trapeze_-_Medusa.html

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Deep Purple MKIII tocando Child in Time

Durante os longos jams que ocorriam nas versões da MKIII para Space Truckin', alguns trechos de músicas eram tocados, e Child In Time era tocada constantemente, sempre instrumental, porém em uma única ocasião, David Coverdale se arriscou a cantar, o problema é que ele não sabia a letra...
Confira aqui esse momento único, à partir dos 10:10 do vídeo:

terça-feira, 17 de julho de 2012

Curiosidades do Metal #3

Opa, pessoal, aqui vai mais uma pequena coletânea de curiosidades sobre bandas de rock e metal. Espero que curtam:

1- Você sabia que a letra de "Hotel California" dos Eagles conta sobre o que os integrantes imaginavam o que era uma cidade grande? Na época, a banda era pequena e nunca tinham ido para uma cidade grande.

2- Você sabia que os dois vocalistas do Angra (Edu Falaschi e Andre Matos) participaram do teste de novo vocalista do Iron Maiden em 93, quando Bruce saiu?

3- Você sabia que Elvis Presley é o rockstar morto que mais rende?

4- Você sabia que Eric Clapton tem uma Ferrari que custou US$ 4,8 milhões de dólares?

5- Você sabia que Mike Patton, do Faith No More já engoliu um cadarço num show? No Youtube há videos de prova.

6- Você sabia que a banda Found já lançou um 7 polegadas feito de chocolate? Não me pergunte como se coloca isso para tocar.

7- Você sabia que Ahmet Rodan, filho de Frank Zappa, foi batizado assim em homenagem a um monstro do cinema japonês?

8- Você sabia que, segundo o baixista Andy Fraser, o hit do Free chamado "All Right Now" foi composto depois de um show horrível?

Hoje, a coletânea foi menor, peço desculpas.

R.I.P. Jon Lord.

Morre Jon Lord

R.I.P Lord.
Nada mais a declarar.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dia 13 de julho

Muitas pessoas sabem que no dia 13/07 se comemora o Dia Internacional do Rock, mas nem todos conhecem o motivo. Há 27 anos, nessa mesma data, foi realizado simultâneamente um show nos já inexistentes John F. Kennedy Stadium (Filadélfia) e Wembley Stadium (Londres). O evento, organizado pelos músicos Bob Geldof e Midge Ure, contou com muitos grandes nomes da música, como Led Zeppelin, Paul McCartney, Queen, Black Sabbath, U2, David Bowie, Judas Priest, B. B. King, Eric Clapton, Mick Jagger, entre outros, além de mais de um bilhão e meio de expectadores ao vivo. O objetivo do evento era angariar fundos para os famintos na áfrica. Foram arrecadados mais de 150 milhões de libras, muito mais do que o esperado. Desde então, o dia 13 passou a ser conhecido como o dia do Rock.

Quase 20 anos depois, Bob Geldof organizou também o Live 8, nos dias 2 e 6 de julho de 2005. Dessa vez, foram 9 países, sendo eles os 8 integrantes do G8 e a África do Sul. A intenção foi pressionar os países membros do G8 a perdoarem as dívidas dos países pobres. Como no Live Aid, muitos nomes importantes da música se reuniram para o evento, sendo o Pink Floyd o mais notável, voltando a se reunir após mais de 20 anos.

A música pode ser um meio de entretenimento, mas isso não a torna menos importante ou capaz de realizar grandes mudanças. Long live rock and roll.


quinta-feira, 12 de julho de 2012

Curiosidades do Metal #2

Então, este é o segundo post da série Curiosidades do Metal(mesmo que não seja só de Heavy metal) e novamente espero que gostem...

1- Você sabia que Camisa de Vênus era uma gíria para a camisinha?

2- Você sabia que o Cannibal Corpse já apareceu num filme de Jim Carrey? Procure por "Ace Ventura:Detetive Animal" e verá eles tocando.

3- Sabia que no México fizeram uma versão de "Surrender" do  Cheap Trick para Mariachi?

4- Você sabia que Steven Seagal tem uma banda? Procure por Steven Seagal and the Thunderbox.

5- Você sabia que Chimbinha já foi visto usando uma blusa do Cradle of Filth?Sim, você leu certo,Cradle of Filth!

6- Sabia que existe uma aranha com o nome de David Bowie?

7- Sabia que o vocalista do Survivor podia ter sido do Deep Purple no lugar de Joe Lynn Turner?

8- Sabia que o Def Leppard não tem nenhum CD ao vivo?

9- Sabia que na época do Elf, Dio fez um cover do Led Zeppelin?

10- Sabia que na lápide de Jim Morrison está escrito em grego "Queime seus demônios interiores"?

11- Sabia que Mike Mangini do Dream Theater já foi eleito baterista mais rápido do mundo?

12- Sabia que Ivan Busic, do Dr. Sin, já fez um comercial com Gisele Bündtchen?

Então, foi esse o Curiosidades do Metal 2.

Abraços.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

The Dark Side Of The Rainbow

Dois clássicos da cultura pop, sendo um o álbum que ficou por mais tempo nas paradas da Billboard (200 semanas) e sendo o outro um filme da década 30 que jamais foi esquecido. Alguns tiveram a vida marcada por um e outros pelo outro, mas a verdade é que os dois por mais diferentes que sejam, eles possuem uma estreita relação, esse fenômeno é chamado de The Dark Side of The Rainbow.
O efeito é o seguinte, segundo algumas pessoas, quando você coloca o LP original do Dark Side para tocar durante o terceiro rugido (controvérsias existem de se é no terceiro ou no segundo) do leão da MGM, uma série de eventos ocorreriam em perfeita sincronia.
Exemplos de sincronia:

Rlacionado ao Áudio-visual

  • A introdução Speak to Me muda para Breathe de acordo com a mudança do nome nos créditos iniciais.
  • Breathe muda para On the Run quando Dorothy cai do muro.
  • A cauda do cachorro Toto se move conforme os ruídos em On the Run.
  • Quando Dorothy canta pela primeira vez no filme, ela olha para o céu enquanto são ouvidos sons de avião na música;
  • Os sons de relógios na introdução de Time começam a tocar assim que Elvira Gulch aparece na bicicleta, e cessam assim que ela desce da bicicleta.
  • The Great Gig in the Sky se inicia assim que o tornado se aproxima, e suas mudanças de ritmo combinam com o clima no filme.
  • Money tem início logo quando Dorothy abre a porta para o mundo de Oz, e o filme deixa de ser preto-e-branco e se torna colorido.
  • As bailarinas dançam ao ritmo de Us and Them.
  • Quando a bruxa má aparece , a música fala "black", referencia à sua roupa preta.
  • Quando a bruxa má morre, escuta-se gritos do começo da música 'Speak To Me - Breathe'.

Relaionado as Letras

  • Tia Em aparenta dizer "leave" ("parta") para Dorothy, ao mesmo tempo em que é dito o verso "leave, but don't leave me" ("Vá embora, mas não me deixe") em Breathe.
  • "Look around" ("Olhe ao redor") - Dorothy olha ao redor
  • "And all you touch and all you see" ("Tudo que você toca e tudo que você vê) - Dorothy segura o braço de um do personagens.
  • "Dig that hole" ("Cave o buraco") - o fazendeiro aponta para o chão.
  • "Balanced on the biggest wave" ("Balançar-se na maior das ondas") - Dorothy se balança em um muro.
  • "Share it, fairly" ("Compartilhe, generoso") - um Munchkin dá flores para Dorothy.
  • "Moved from side to side" ("Se moveram de um lado para o outro") - os Munchkins correm de um lado para outro quando surge a Bruxa Má do Oeste.
  • "Black and blue" ("Preto e azul") - quando é dito "black", a bruxa é vista, com sua roupa e chapéu pretos, e quando é dito "blue" aparece Dorothy, com sua roupa azul.
  • "With… without" ("Com… sem") - Em "with", Dorothy está com Toto nos braços, e coloca-o no chão conforme é dito "without".
  • "home…home again" ("em casa…em casa de novo") - Quando Dorothy volta para casa


Fim do disco:
Tem gente que acredita que, se o disco for tocado duas (ou três) vezes, a sincronia continua. Para isso, é preciso programar faixa a faixa pra primeira até a última duas vezes seguidas.


A Cena do Homem de Lata (continuação):

  • O álbum repete aqui e as batidas de coração também se repetem. Quando o homem de lata está todo lubrificado, ele começa a dançar exatamente quando as batidas começam. Ele dança com a música. O homem de lata faz o vapor sair de sua cabeça com as batidas hi-hat.

A Cena do Leão:

  • Um morcego voa através da tela enquanto o som de um avião é ouvido no CD.
  • O rosnado do leão correlaciona-se com o som do rosnado no CD.
  • O leão parece estar conduzindo a música quando fala.
  • Todos os três personagens saltam com a batida durante a mudança de cena.

A Cena do Castelo de Esmeralda:

  • O cavalo e os personagens no castelo estão se movendo com a batida.
  • O cavalo muda de cores na ordem das cores do arco-íris na capa do disco.
  • A mudança de música ocorre quando eles começam a andar na grande sala.
  • Dentro das sala do mágico, o fogo atira com a música.
  • O leão pula da janela com down, down.
  • Forward he cried é cantado quando o homem de lata está dizendo ao leão para ir a diante.
  • A fumaça embaixo da cara do mágico aparece azul somente quando ouve-se blue, blue.
  • Os repiques ouvidos no começo com a velha avarenta, são agora acentuados pelos aplausos da multidão na cena do balão de ar quente.
  •  Dorothy bate nas cicatrizes com a batida hi-hat.
  • As palavras home, home again são cantadas quando Dorothy acorda e abre seus olhos. A música acaba exatamente quando acabam os créditos.





Ainda é um mistério como esse efeito foi descoberto, levando em consideração que existe um momento correto para você começar a reproduzir o álbum, ou seja para que isso acontecesse naturalmente seria complicado, a não ser que fosse uma coincidência. Caso tenha sido proposital, qual teria sido o motivo? Digo, por que alguém iria reproduzir um álbum de rock durante um filme, e no terceiro rugido do leão? Será que a banda fez isso propositalmente e disse o segredo para o cara que descobriu isso? Controvérsias, já que a banda negou isso.
Mas para você leitor? O que aconteceu?
Segue vídeo que diz ter todas as sincronias:
Créditos a lista de exemplos:
Audio Visual e Letras: Wikipedia

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Curiosidades do Metal #1

Aqui vai uma série de curiosidades sobre bandas, seus álbuns e suas músicas.

1- Você já ouviu Fast as a Shark, do Accept? Aquela introdução com uma mulher cantando em alemão era uma marcha do regime nazista.

2- Você sabia que a música "The Jack" do AC/DC se refere a gonorreia que Bon e Malcolm contraíram uma vez na Austrália?

3- Você sabia que os membros do Aerosmith (assim como os do Guns'n'Roses) precisavam roubar comida pra sobreviver?

4- Você sabia que num show do Alice Cooper uma galinha foi despedaçada pelo público?

5- Você sabia que André Matos já cantou o hino do Corinthians na MTV?

6- Você sabia que Rafael Bittencourt (guitarrista do Angra) já participou de uma jam com o rapper Fernandinho Beatbox?

7- Você sabia que "House of the Rising Sun" da música do Animals é um prostíbulo?

8- Você acha que foi King Diamond, o Kiss ou até o Secos e Molhados que inventou o corpse paint? Pois então procure sobre Arthur Brown!

9- Você sabia que a música "Good Vibrations" demorou 4.320 horas para ser gravada?

10- Você sabia que Edgar Vivar, que fazia o Sr. Barriga no Chaves já cantou Yesterday? Isso está no Youtube.

11- Você sabia que em 1969 quando George saiu por algum tempo dos Beatles, Clapton poderia ter entrado na banda?

12- Você sabia que o ator principal de "Jesus Christ Superstar" Geoff Fenolt poderia ser o vocalista do Black Sabbath em "Seventh Star"?

13- Sabia que Richie Sambora, do Bon Jovi, participou do filme "Staying Alive" como guitarrista de bar?

Então, esse foi o primeiro post da série que eu farei com pequenas curiosidades sobre o Rock e seus afluentes,espero que gostem.

Abraços.

sábado, 7 de julho de 2012

Review de CD - Rainbow Rising

O primeiro post do blog é quanto a um favorito em particular meu. Eu escrevi essa review a algum tempo atrás para contribuir ao whiplash.net, portanto o texto estará na formatação padrão de lá. Mas que fique claro que eu sou o autor da review.

Uma das bandas pioneiras do Power Metal e do Metal Sinfônico, a banda que preparou RONNIE JAMES DIO para o mainstream, a banda em que RITCHIE BLACKMORE demonstrou todo seu virtuosismo, a banda que revelou o talento de jovens músicos como JIMMY BAIN, CRAIG GRUBER e TONY CAREY, e isso somente na sua fase "inicial", a fase Dio.
Nota: 10 
Após o lançamento do primeiro álbum, o RAINBOW parecia estar caindo em um poço sem fundo, pudera, apesar da qualidade da música e dos músicos (convenhamos, os músicos do ELF eram realmente talentosos), a venda havia sido um fracasso, e BLACKMORE, como de costume, estava insatisfeito com a banda, era a batida fraca do baterista, era o tom que pendia ao funk do baixista, o tecladista não era bom o suficiente e mais várias situações, fez com que BLACKMORE demitisse toda a banda, menos DIO.
Em busca de novos membros, BLACKMORE chamou o excelente baterista do JEFF BECK, COZY POWELL e mais dois músicos desconhecidos, o tecladista TONY CAREY e o baixista JIMMY BAIN, que como vemos no Rising, eram/são excelentes músicos. E assim estava feito a "MKII" do RAINBOW, que excursionou pela sua Rising World Tour, a turnê de acompanhamento do álbum que veremos agora: RAINBOW RISING.
O álbum já começa poderoso, com o sintetizador de CAREY, sentimos uma áurea mística em torno de tudo que viria depois, e o pressentimento estava confirmado, um riff simples porém eletrizante, um vocal forte e poderoso, um refrão belíssimo e um solo eletrizante. Aí estava a faixa número um do CD, Tarot Woman.
Em seguida temos outra música que merece nossas atenções (na realidade todo o álbum em questão merece), Run With The Wolf. Uma letra até um certo ponto complicada de entender, mas que aparenta falar sobre mudanças em geral. Com outro belo refrão e um final chegando perto de ser épico, essa faixa da inicio a parte Hard Rock do álbum, duas canções que são mais a cara do DEEP PURPLEe do RAINBOW pós DIO do que RAINBOW com o DIO. A primeira dessas duas faixas, Starstruck, é uma música com um bom riff e uma bateria forte de POWELL, a segunda, Do You Close Your Eyes, é uma música de Hard Rock clássico, um riff pesado e "alegre", um refrão rápido e acessível, uma letra simples e uma canção curta. Boas músicas para escutar o talento de POWELL.
Chegamos aos pontos altos do álbum, Stargazer e A Light In The Black. Talvez um dos melhores "B-Sides" da história do rock, se não o melhor. Nele podemos ouvir a qualidade dos músicos, quem nunca bateu cabeça no solo de bateria de Stargazer ou no de teclados de A Light In The Black?
Agora, falemos das duas faixas, começando por Stargazer, uma faixa que começa com um solo rápido e feroz de bateria de POWELL, seguido por um riff constante e pesado de BLACKMORE acompanhado de perto pelo baixo de BAIN e o teclado de CAREY, logo depois, entra a voz do DIO, poderosa e intimidadora como sempre, cantando sobre "uma pequena história sobre um mago, que pega pessoas e as faz de escravos, enquanto ele constrói uma grande torre de pedra até os céus para poder ver as estrelas", palavras do próprio DIO quanto à música. Após cantar os dois primeiros trechos da música, DIO dá espaço para o virtuosismo de BLACKMORE, que agora, já acompanhado da Orquestra Filarmônica de Munique, executa um solo feroz e rápido. Depois do solo a música volta ao seu decorrer natural, a única diferença é a orquestra. A música continua assim, até que DIO começa a gritar partes da música, com a orquestra crescendo ao fundo e BLACKMORE e o resto da banda cada vez mais pesada. Assim acaba o épico de oito minutos e vinte e seis segundos. Mas o álbum não terminou, ainda faltava a continuação de Stargazer...
A Light In The Black, a música mais veloz e pesada do RAINBOW em meu ver. A música começa como Stargazer, com um solo de bateria, mas esse dura apenas dois segundos, em seguida, entra um riff de BLACKMORE, semelhante ao da faixa anterior, e assim entra o vocal, que conta a história de volta para casa após a queda do mago. A música ainda consta com um solo virtuosíssimo de BLACKMORE acompanhado pelo teclado de CAREY, um momento mágico. A música volta a seu andamento natural e termina com um final monstruoso, a voz de DIO estava perfeita e os instrumentos na mais perfeita harmonia. E assim acaba, um dos maiores álbuns da história.
Track-List
1. Tarot Woman
2. Run With The Wolf
3. Starstruck
4. Do You Close Your Eyes
5. Stargazer
6. A Light In The Black
Banda:
RONNIE JAMES DIO - Vocal
RITCHIE BLACKMORE - Guitarra
COZY POWELL - Bateria
TONY CAREY - Teclado
JIMMY BAIN - Baixo
Detalhes do álbum:
Nome: Rising
Artista: Rainbow
Ano: 1976
Gravadora: Polydor

Olá e Metodologia

Seja bem vindo ao Afluente do Rock, blog onde você encontrará reviews de álbuns, informações de bandas, curiosidades e downloads dos álbuns apresentados. Sempre com uma linguagem agradável e acessível, pretendo mostrar as pessoas que o rock e seus diversos subgêneros (desde o Jazz Rock ao Black Metal) é uma cultura rica com diversas ideologias apresentadas pelas mais diversas bandas, mas você tem a escolha de segui-lá ou não. Resumindo, pretendo mostrar que o rock é mais que aquela "coisa fétida e satânica" que a mídia nos empurra goela abaixo, e sim um sentimento de liberdade de escolha.